Arquivo para julho 2013 | Página mensal de arquivo

Nazaré – Francelina, a nazarena que mantém viva a tradição da secagem do peixe

Francelina Quinzico, 58 anos, há mais de 30 que se dedica ao labor da secagem do peixe no areal da praia da Nazaré. Começou por ser pasteleira mas o destino «e a insistência da sogra» acabaram por lhe trocar as voltas. A nazarena faz da praia a sua «segunda casa».

Nazaré – Joaquim, o artesão que não deixa morrer os tradicionais barcos de bico

Há um quarto de século que Joaquim António Correia mantém viva a cultura piscatória nazarena construindo réplicas em miniatura de barcos tradicionais. É no Sítio da vila que o artesão nos abre as portas do espaço onde se dedica «com muito orgulho» a «manter a cultura local viva». Só lamenta a concorrência desleal que descaracteriza a identidade da Nazaré.

Nazaré – Abílio Figueira: «O cheirinho do mar chamou-me»

Abílio Figueira traz uma história de vida com 34 anos de mar, seis dedicados à «dura» pesca do bacalhau nas águas da Terra Nova. Bem cedo na vida o «cheirinho do mar» chamou este homem. Hoje, Abílio é proprietário de um restaurante, mas ainda vai ao mar.

Nazaré – Viver ao sabor do mar

Francelina, Joaquim, Abílio. Três nomes que contam outras tantas estórias de vida na Nazaré. Quotidianos frente ao mar, mas também nele embrenhados. Este é um périplo pela vila estremenha. Uma «volta» que nunca perde de vista o Atlântico, mesmo quando aponta às alturas, ao promontório onde assenta o Sítio.

Funchal – Fábrica veste há 30 anos bonecas com trajes da Madeira

Loiras, morenas, mais requintadas ou de pano, há mais de 30 anos que todas saem vestidas a rigor para representar a Madeira de uma das últimas fábricas de confecção de bonecas que existe na ilha. Uma tradição que corre o risco de desaparecer, fruto da crise económica que trouxe dificuldades ao negócio.

Estarreja – Seminário vai debater «capital natural» como meio de desenvolvimento

De 12 a 14 de Julho decorre em Estarreja o Seminário BioRia com o tema «O Capital Natural como Fonte de Desenvolvimento Económico». Um encontro que para além da discussão teórica sobre turismo, economia, desenvolvimento, vai promover o contacto directo com a natureza, com passeios pedestres, observação de aves e outras actividades.

Lousã – Santo António da Neve acolhe encontro de povos da Serra

Os povos dos concelhos que abraçam a Serra da Lousã voltam a reunir-se dia 13 de Julho em Santo António da Neve, no encontro anual de confraternização que desde 1997 junta milhares de pessoas a cerca de mil metros de altitude.

Turismo – Rota Vicentina já tem 350 quilómetros para caminhadas entre Alentejo e Algarve

A sinalização dos trilhos algarvios da Rota Vicentina está concluída, o que faz com que os amantes de caminhadas contem actualmente com cerca de 350 quilómetros de percursos pedestres nas costas alentejana e vicentina.

Lisboa – Um por dentada

Tem o «Melhor Pastel de Nata de Lisboa». Aloma, com 70 anos a servir o público, é um investimento de João Castanheira. Pastelaria e confeitaria, no bairro típico de Campo de Ourique, recebeu em 2012 e 2013 o galardão na IV Edição do concurso promovido pelo Festival Gastronómico do Peixe em Lisboa. A clientela enche o pequeno espaço. E ninguém sai desiludido. O problema é que um só sabe sempre a pouco.

Viseu – Rua Direita renasceu e tornou-se ponto obrigatório de passagem

Subir ou descer a Rua Direita de Viseu tornou-se uma prática quase obrigatória, com paragem mais demorada por algumas lojas recentemente reinterpretadas no âmbito do projecto Jardins Efémeros, que tem trazido «vida» ao coração da cidade.